O que você não sabe a respeito do maravilhoso pet Bull Terrier

O surgimento do magnifico Bull Terrier na História

A compreensão da geração do Bull Terrier nos anos 1800 não é inteiramente congruente com o Bull Terrier atual. Antigamente, na Inglaterra, havia bastantes esportes de combate e caça para cachorros, por isso o intuito da origem do Bull Terrier, esse cachorro que é a mistura dos cachorros Bull e Terrier. A sua concepção pode ser associada a um indivíduo chamado James Hinks, de Birmingham (Grã-Bretanha), que, após vários anos de ensaios, apresentou essa raça na década de 1850.
Com o objetivo de se encontrar um exímio cão para combates, considerou-se na época acasalar com o Dálmata, assim produziu-se o Bull Terrier de nossos dias. A disputa entre cachorros e ainda entre cães e touros, era bastante usual na Inglaterra de outrora, ainda mesmo após a sua interdição neste país.
É preciso entender a criação do Bull Terrier que temos conhecimento, porque, apesar dele ser uma mestiçagem de três linhagens (Dálmatas, Bulldogs e English White Terriers), na verdade ele é descendente dos molossos. Esses eram muito usados para batalhar contra espécimes com um físico bastante maior que o seu.
Derivados a partir de raças de espécimes ferozes, vigorosos e violentos, os Bulldogs remotos foram originados como lutadores – e foi por causa deste motivo que essa foi uma das espécies empregadas para tentar dar começo ao cão de luta impecável, que acabou tornando-se o Bull Terrier depois de uma outra sequência de mesclas.

Características Físicas do Bull Terrier

A disciplina é algo vigente nestes cachorros, eles são bastante obedientes. Ele é muito ativo, bem forte e com suas dimensões bem equilibradas. Sua mandíbula é bastante resistente e vigorosa, sua cabeça não apresenta recortes ou covas, além de sua caixa craniana ser extensa, firme e volumosa. Tem um olhar penetrante, tendo-os demasiadamente pequenos e uma coloração amendoada. Suas orelhas são próximas, retas e estreitas.
O seu esterno fica mais aproximado do chão, possuindo uma cernelha com grande profundidade e o seu dorso é oval e suas costelas são extremamente arqueadas. Seu rabo não é demasiadamente curto e sua inclusão não é exageradamente elevada.
Sua pelagem é bastante estreita, densa e inflexível quando acariciada. Com referência à coloração, existe o conhecido Bull Terrier Branco que pode ser plenamente esbranquiçado ou pode vir a ter ínfimas pintas em cores. E possui o Bull Terrier inteiramente pigmentado, com pequenas partes esbranquiçadas.

Como cuidar de um Bull Terrier

Você precisa entretê-lo com atividades que instiguem sua inteligência. Deixe o cão em um local assegurado, ainda que ele adora locomover muito. Ele não necessita permanecer ao ar livre, todavia vivendo dentro da moradia, com ingresso ao jardim.
Atividades físicas e intelectuais são vitais para haver autodomínio e paz entre o cão e todo mundo à sua volta, embora as inúmeras modificações realizadas com a raça desde o seu nascimento tenham tornado o Bull Terrier mais dócil, amoroso e calmo. Se ele não gastar toda a potência que tem reunida, ele pode se tornar demasiadamente mais agressivo e nervoso, e isso deve-se ao jeito como foi originado, sendo visto como um cachorro de confrontos.
Apartamento não é o melhor lugar para se criar um Bull Terrier, já que ele precisa de espaço para correr e brincar. Para essa raça que carece de despender bastante energia, um local maior é o recomendado, apesar de existir pessoas que têm este espécime mesmo morando em pequenas habitações. Caso esse seja o seu caso, entenda que você necessita fazer com que ele execute inúmeras atividades com o objetivo de evitar contratempos futuros.
Os cuidados com os pelos são mínimos.

Benefícios de ter um pet Bull Terrier

O Bull Terrier não é um cachorro para qualquer um, entretanto aqueles que acolhem um Bull Terrier se perceberão recompensados por causa dos traços positivos dessa raça. A individualidade é, com certeza, o indício mais típico destes cachorros. Esse espécime vai acompanhá-lo até os últimos dias da sua existência, sendo muito fiel a você e seus familiares. Ao passear com esse espécime, entenda que ele é muito curioso, investigando tudo a sua volta e se entretendo consequentemente.
No momento em que apresentam ao Bull Terrier um utensílio que seja (pode ser um bichinho de mentira, uma bola de tênis, o que for), ele vai examinar, satisfazer seus desejos, irá brincar com ele e, enfim, irá começar a comer e arrasar o brinquedo. Ele tem a capacidade de se entreter estando acompanhado ou sozinho, por causa disso a necessidade de fazer seu cachorro dissipar o máximo de esforço que puder. O intuito de se manter entretido é um sinal frequente em todos os cachorros, contudo é uma peculiaridade essencial desta raça em especial.

Problemas que mais ocorrem no Bull Terrier

Mesmo que seja, de modo geral, uma raça muito saudável, complicações vinculadas a hérnias e à pele são capazes de acontecer nos cães da raça, que inclusive tendem a ser afetados por distúrbios de acne e até acrodermatite, uma séria moléstia que atinge os cachorros ainda filhotes e produz desde a pelagem enfraquecida até o ressecamento dos coxins e feridas nas mais diferentes regiões do corpo do cão.
Eles são suscetíveis de tornarem-se surdos, em um ou todos os ouvidos. Afirmava-se que esse problema era relacionado à cor branca do cão, por isso terem sido originados espécimes mais coloridos.
Caso você goste de cachorros mais submissos, é melhor refletir bem antes de adquiri-lo, contudo, se você quer um cachorro ativo, esse é o adequado. Essa é uma raça de característica irrefutável, que dá a impressão de objetar as ordens que ganha e, por causa disso, não se recomenda que possua um proprietário de primeira viagem, embora sim, um que possua controle sobre o cão.
Esse cão é bastante firme ao treino, devido a isso ele leva mais tempo para memorizar em comparação aos demais. Ele não é hostil com pessoas estranhas, embora, se você quer que ele também seja divertido, então é melhor habituá-lo desde filhote com pessoas novas.

Filhote de Bull Terrier

Estes cachorros, quando bem pequenos, são capazes de ser bem arteiros e demolir tudo o que está ao seu redor. Eles, tal como os mais crescidos, necessitam despender bastante energia a fim de não ficarem bastante irrequietos. Eles ainda tem de ser acompanhados todo o tempo. Deixá-los sozinhos tem grande chance de causar bastante arrependimento posteriormente.
A pelagem desse cachorro é muito curta e não tem necessidade de cuidados excessivos. Se você habita em um prédio, medite bem: uma vez que será essencial auxiliá-lo a esgotar a energia de inúmeras formas.
O estágio de hostilidade e de amor de um cão está intimamente conectado com o modo de instrução e atenção que ele ganha por parte de todos seus familiares e, portanto, o Bull Terrier que adquirir bastante amor e fixar comandos de adestramento e disciplina desde bebê raramente irá ser um cachorro hostil.
E este tipo de atitude afetuosa e de disciplina necessita de ser constantemente ampliada, já que a força do maxilar (e, portanto, da dentada) de um cão da espécie pode ser excessivamente intensa – confrontada, inclusive, com a dos Pit Bulls – fazendo com que os infortúnios com um cão Bull Terrier sejam bem mais graves do que os ocorridos com a grande maioria das demais espécies conhecidas.

Curiosidades acerca do Bull Terrier

Você possuirá inúmeros motivos para alegrar-se desse cão. Um pouco extrovertido, não se assuste se enxergar seu Bull Terrier correndo de um lado para o outro pela casa, saltando e agredindo objetos inanimados somente para atrair sua atenção e mostrar como é atlético. Caso você faça parte das diversões, não irá se desiludir.
Se essas habilidades físicas não chamarem sua atenção, é recomendável que cubra os ouvidos. Acredite ou não, o seu Bull Terrier vai te chamar. Eles irão reclamar, resmungarão e vão balbuciar para entretê-lo. Acredite ou não: seu Bull vai tentar “falar” com você. Quando conseguir atrair a sua atenção, ele imitirá alguma espécie de código.
Esse traço pode parecer esquisito ou até como uma moléstia para certas pessoas, entretanto os donos se divertem. Quando seu Bull Terrier está fora do lar e encontra um arbusto ou um pedaço de relva elevada e opta se abrigar, o cachorro irá caminhar devagar abaixo do arbusto e posteriormente vai ficar completamente silencioso.
Percebendo mais próximo poderá avistar o cão com um olhar enevoado, tal como se estivesse em transe, enquanto que a corrente de ar sopra delicadamente por cima dos arbustos e lhe resvala a coluna. Em seguida a um determinado tempo, ele se erguerá, irá endireitar a sua pelagem e continuará a sua caminhada. E não é simplesmente com arbustos ou gramados naturais, com árvores de natal ainda já foi notado esse tipo de hábito, que ainda é demasiadamente sem explicação.

Deixe uma resposta